terça-feira, 6 de novembro de 2007

Também Estou Indignado!!!

Fui inspirado pelo Pr. Renato Vargens a escrever sobre esse tema. Confesso que o texto publicado em seu blog, que, aliás, recomendo sua leitura (basta acessar ao lado na opção links interessantes), não somente me estimulou a reflexão, mas também aumentou minha indignação com a realidade do povo protestante em nosso país. Aliás, nós “protestantes”, precisamos parar de protestar diante de Deus porque Ele não nos tem concedido as “bênçãos” por nós “determinadas” e determinarmos nos abster das “pílulas do amor próprio” que tanto nos aliena da dor do próximo.

Penso que estamos vivendo um tipo de “pseudoêxtase” espiritual que nos tem levado a não percebermos que o ecstasy, droga fartamente consumida entre os jovens, tem abreviado a vida de tanta gente amada por Deus.

Estamos construindo tendas em nosso “monte da desfiguração” da verdade bíblica enquanto uma grande multidão jaz debaixo de nosso nariz. Quando Pedro, diante do Cristo Glorificado sugeriu permanecerem no monte da transfiguração dizendo: “bom é estarmos aqui...”, ele manifesta um desejo genuíno de quem de fato estava tendo uma experiência REAL com o Todo Poderoso.

Infelizmente, essa tem sido a atitude de muitos evangélicos que supostamente afirmam verem a glória de Deus sem, contudo conseguirem enxergar a miséria existencial dos homens.

Os discípulos Pedro, Tiago e João ao descerem do monte onde tiveram essa indescritível experiência espiritual se depararam com uma multidão, e, dentre ela, surgiu um homem desesperado que se prostrou aos pés do Senhor pedindo que o Senhor se compadecesse de seu filho lunático que muito sofria. Surpreendentemente, o homem afirma: “Apresentei-o a teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo”.(Mt. 17:18)

Toda vez que lia esse versículo ficava muito impressionado com o fato dos discípulos não conseguirem aliviar o sofrimento desse pai. Hoje fico pensando em quantos pais não estão passando por situações como essa ao verem seus filhos mergulhados no alcool e outras drogas? E nós, discípulos do Senhor, não conseguimos produzir respostas e solução para tais problemas.

Quando Jesus foi questionado pelos seus discípulos porque motivos não puderam resolver aquele problema, Jesus lhes respondeu: “Por causa da pequenez da vossa fé”.

Penso que é muito fácil expressar atitudes de fé no alto do monte, nos ambientes litúrgicos, na atmosfera mística do culto e da adoração, porem é extremamente difícil e necessário expressarmos a mesma fé no cotidiano, no ambiente nada litúrgico, porem não menos santo, da relação com a multidão carente de Deus.

O que temos feito? Estamos pelo menos indignados? Se sim, já é um começo!

3 comentários:

renatovargens disse...

Pois é meu amigo, a igreja evangélica precisa deixar de lado o blá-blá-blá e efetivamente arregaçar as mangas. Excelente Reflexão! Parabéns.

roberto disse...

Concordo com tudo ! E creio que deve partir de cada um uma reflexão interior , perguntando a sí mesmo como está a minha vida com Deus ? Para depois começar a caminhar e fazer algo difrente , conformado com a situação , ningué pode sair do lugar .

J. F disse...

Como é difícil sairmos de nós mesmos... Como é difícil praticar a fé acompanhada das obras... Como é difícil ser cristão.
Quanto a ser crente: Ehhhhh que legal!
Parabéns amigo... Uma reflexão digna de aplausos.
Fique com Deus.
Jailson Freire